5 problemas comuns na gestão de frota de veículos nas empresas

Todos os processos dentro de uma empresa, precisa ser registrado e ser do conhecimento de um superior. Assim também deve ser na gestão da frota de veículos

Toda empresa é composta por uma série de processos, e é preciso que a gestão seja feita da forma correta para garantir o bom desenvolvimento da companhia. 

Assim também acontece com o gerenciamento da frota de veículos. Um controle rígido, com regras específicas, deve ser mantido, para evitar que este setor vire o dreno por onde escoam os lucros da empresa.

Neste conteúdo, vamos elencar alguns problemas comuns que ocorrem no gerenciamento da frota de veículos de uma empresa. Acompanhe e avalie quais situações você enfrenta no seu dia a dia.


1 -Frota sem manutenção

Os cuidados com os veículos, sejam de passeio ou de carga, devem ser constantes. E todos os profissionais que atuam diretamente com a frota devem ter esses mesmos cuidados. Afinal, a manutenção não deve ser lembrada somente na hora em que o veículo tiver algum problema. Pois isso pode causar grandes prejuízos, como o atraso nas atividades.

Outro problema que ocorre com frequência e também tem impacto na manutenção  é a falta de cuidado com o combustível. Deixar o tanque secar ou estar sempre com ele na reserva é sinal de prejuízo. 

Um plano de manutenção preventiva é uma boa solução. Ele inclui uma lista de checagem que avalia de forma periódica os ítens necessários para o bom funcionamento do veículo, como pneus, motor e freios. Tendo este hábito, você não vai contar apenas com a sorte para evitar problemas e gastos maiores. 

Desta forma, é necessário utilizar ferramentas que monitorem os seguintes aspectos dos veículos da frota:

  • Quilometragem;

  • Visitas a clientes ou entregas feitas dependendo do ramo;

  • Datas das manutenções preventivas realizadas;

  • Rodízio de pneus;

  • Média de gastos com combustível;

  • Pagamento de taxas e impostos;

  • Pagamento de multa e razões dessas sanções.


2 - Não realizar a análise comparativa de gastos


Identificar os carros com maior consumo de combustível ou que exigem uma sequência de manutenção mais intensa é bem importante para ter um controle maior sobre a frota. 

Neste sentido, uma boa ação que deve ser praticada de forma rotineira é identificar quais carros estão tendo mais problemas, por marca, ano de fabricação e modelo. Este olhar identifica as falhas e ajuda quando for o momento de tomar decisões por ações de prevenção, ou mesmo na hora de renovar a frota. 


3 - Não investir na qualificação dos motoristas

São vários os aspectos que influenciam na gestão das frotas. Mas, sem dúvidas, investir em motoristas qualificados é um dos pontos fundamentais. 

Afinal, de nada adianta ter as manutenções em dia, se o motorista do veículo não está apto para desempenhar as atividades. Por isso, invista na qualificação dos profissionais, oferecendo cursos e orientações relacionadas ao dia a dia de trabalho. 


4 - Atrasar pagamento de taxas e tributos

Entre as obrigações mais importantes para a boa gestão de frotas, além da manutenção dos carros, está o pagamento de taxas e tributos. Custos com seguro obrigatório, IPVA, ICMS, pedágios e outros da categoria, podem causar grande dor de cabeça e multas quando não são gerenciados corretamente. 

É necessário ficar atento aos tributos e taxas que incidem sobre a categoria, para evitar que ocorram apreensões, retenções e multas por fiscalização. 

Irregularidade com documentos podem resultar em vários problemas, como: dificuldades em realizar pagamentos para terceiros; complicações na emissão de documentos; multas por irregularidades fiscais, entre outros.


5 - Ignorar as inovações tecnológicas

Continuar com processos arcaicos de documentação e gestão de frota é um caminho certo para o fracasso. Isso porque a tecnologia está aí para reduzir as falhas humanas e agilizar os processos.

Os dados são registrados automaticamente e gerenciados com precisão.  É importante ressaltar ainda que estes processos identificam os valores com exatidão, sem deixar margem de erro, feitos por cálculos manuais, como o consumo de combustível do mês, por exemplo. 

Ao atuar em fatores específicos, como a redução de custos, a tecnologia pode gerar cronogramas inteligentes de reparos e articular sensores instalados nos veículos. 

Identificou algum problema que você enfrenta no seu dia a dia? No nosso blog você encontra mais conteúdos para te ajudar na gestão de frota Continue acompanhando!